Geral

Porto Alegre – Baixa procura por vacina se deve às fake news, alerta a vigilância

Os grupos que mais preocupam são aqueles abaixo dos 70 anos. Na faixa dos 57 anos, até 22% dos porto-alegrenses ainda não se imunizaram. Nas faixas de 58 e 59 anos, mais de 10% não foram vacinados.

A Vigilância em Saúde de Porto Alegre informa que a prefeitura acompanha com preocupação a vacinação abaixo do esperado em algumas faixas etárias. A avaliação das autoridades é que a fila de vacinação está andando mais rapidamente porque muitos que já poderiam ter se vacinado estão deixando de ir aos postos.

“Esse movimento antivacina é insano. Claro que a pessoa tem o direito de não querer, mas eu fico preocupado porque aquela imunidade coletiva que a gente busca, de 70%, talvez não atinja”, disse o diretor da Vigilância em Saúde, Fernando Ritter.

Risco de trombose
“As fake news estão nos engolindo nesse processo. O risco de trombose é infinitamente menor do que a pessoa ter o mesmo problema quando contrair o vírus. Uma gestação simples tem o risco aumentado de ter trombose”, explica o diretor, usando um dos principais argumentos lembrados por pessoas contrárias à vacina.

Vacinação obrigatória na Rússia
Moscou – O prefeito Sergey Sobyanin alertou para uma evolução “dramática” da pandemia na capital russa e decidiu decretar a vacinação obrigatória de todos os empregados do setor dos serviços. Nessa quarta, 16, foram registrados 5.782 novos casos e 75 mortes por covid somente na cidade.

João Lemes

Oi! Aqui é o João Lemes, editor do Expresso Ilustrado e do site Nova Pauta. Sou graduado em Língua Portuguesa e membro da Academia Santiaguense de Letras. Gosto de abordar todos os temas. Se você gostou, obrigado, se não gostou, obrigado por ter lido. Aceito sugestões. Um abraço.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios