Geral

Covid: qual intervalo entre as doses e quando há proteção completa?

Há intervalos diferentes entre as vacinas. A CoronaVac pode ser feita entre 15 e 28 dias. A da Pfizer são 21 de intervalo, podendo ser utilizada com intervalo de 42 dias (segundo orientações do fabricante e da OMS) ou de até três meses (segundo estudos científicos). Já a de Oxford pode ser feita em um intervalo de 90 dias. A proteção só estará completa após a segunda dose de vacina e passados 15 dias da aplicação dessa segunda dose.

A vacina evita que você pegue ou transmita a doença?

As vacinas disponibilizadas no Brasil – como a Coronavac e a Oxford – não evitam totalmente que as pessoas peguem ou transmitam o vírus. Então, as medidas de contenção, como o uso de máscaras, distanciamento e lavagem de mãos, continuam sendo importantes. 

Quais as reações adversas que podem surgir após tomar a vacina contra a covid-19?

As vacinas de covid-19 são bastante seguras. A maior parte das reações são locais, como dor na região da aplicação e vermelhidão. Algumas pessoas têm febre, calafrios ou até sensação de gripe, que passam, em média, dentro de 48 horas. 

As vacinas protegem contra as novas mutações e variantes do coronavírus?

Não sabemos exatamente o quanto essas vacinas protegerão contra as novas variantes. Até o momento, nas variantes que estão circulando no Brasil, os imunizantes estão sendo úteis para contê-las. 

João Lemes

Oi! Aqui é o João Lemes, editor do Expresso Ilustrado e do site Nova Pauta. Sou graduado em Língua Portuguesa e membro da Academia Santiaguense de Letras. Gosto de abordar todos os temas. Se você gostou, obrigado, se não gostou, obrigado por ter lido. Aceito sugestões. Um abraço.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios