Geral

Recuperação Pós-Covid: Fisioterapeuta Guilherme Sanches atende em Santiago

Seja como parte da equipe de atendimento nas unidades de terapia intensiva ou trabalhando na recuperação do paciente pós-internação, o fisioterapeuta é um profissional de fundamental importância para o sucesso do tratamento dos pacientes com Covid-19.

Sua atuação contribui para evitar complicações cardiorrespiratórias em indivíduos internados e também para recuperar a capacidade pulmonar e motora de quem já se curou da doença.

No atendimento pós-hospitalar, ele é responsável por indicar exercícios e procedimentos terapêuticos para fortalecer a musculatura respiratória e periférica, tanto de quem acabou de sair da UTI quanto de quem está se recuperando em casa.

Recuperacão pós-UTI

Quando um paciente grave de Covid-19 consegue sair da UTI, é preciso dar continuidade ao tratamento em apartamentos ou enfermarias até que ele esteja pronto para ter alta e possa se recuperar em casa.

A dificuldade de dar alta ao paciente assim que ele sai da UTI se deve ao processo de enfraquecimento muscular que ocorre durante esse período, decorrente da falta de mobilidade e da alimentação estritamente controlada.

É sabido que um paciente crítico pode perder entre 17% e 30% da massa muscular nos 10 primeiros dias de uma internação sob cuidados intensivos. Nos casos mais graves de Covid-19, a permanência na UTI pode durar de duas a três semanas (ou mais).

Para auxiliar na recuperação desses pacientes ainda no hospital, o fisioterapeuta pode recorrer a exercícios com pesos para fortalecer a musculatura respiratória e periférica (braços e pernas).

Fisioterapia após a alta do paciente com Covid-19

Ainda não há estudos conclusivos sobre a extensão das sequelas da Covid-19, mas a prática já mostrou que uma parcela significativa dos recuperados continuam necessitando de fisioterapia (principalmente respiratória) por um longo tempo após a desospitalização.

Os especialistas recomendam que a fisioterapia respiratória inicie tão logo o paciente esteja curado dos sintomas mais graves, já que os primeiros sete dias após a alta são decisivos para o desfecho da recuperação funcional.

Considerando problemas como desgaste muscular, desnutrição, perda de peso, dificuldades respiratórias e de deglutição decorrentes da intubação, o trabalho de reabilitação nesses casos pode durar de seis semanas a seis meses.

As atividades propostas incluem desde o uso de um aparelho específico para trabalhar a musculatura respiratória até atividades físicas leves, que não envolvem o uso de pesos ou outros aparelhos.

No caso do exercício respiratório, é necessário um acompanhamento constante do paciente para que se possa quantificar a resistência ideal do aparelho em cada caso.

O fisioterapeuta Guilherme Gripa Sanches atende na Clínica Life em Santiago. Qualificação: Bacharel em Fisioterapia pelo Instituto de Ensino Superior de Santo Ângelo – IESA; Curso de formação completa do método Dry Needling no tratamento da dor pelo instituto Golden (Santa Maria); Curso complementar em Bandagem Funcional no Esporte pelo Instituto Golden.


Principal área de atuação: Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva. Registrado pelo Conselho Regional de Fisioterapia do Rio Grande do Sul (CREFITO 5: 227.034).

Realiza atendimento domiciliar e em consultório. Agendamentos de sessões na Clínica Life, em Santiago. Fone (55) 3251-2166 ou WhatsApp (55) 9.9948-0898. Pinheiro Machado 2519, Centro, diagonal a padaria Única. 

Clínica Life, estabelecimento médico inscrito no CREMERS sob CRM n° 10.186. Direção Técnica: Dr. Manuel R. Crossetti, Vice Direção Técnica: Dr. Leonardo Franco. 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios