Giro político e noticioso

A debandada já começou
No RS, muitos dos ditos partidários já estão se bandeando para o lado de Bolsonaro, um dos líder nas pesquisas, contrariando orientações partidárias e ignorando seus próprios candidatos. Muitos, nem no santinho colocam o nome do seu candidato à presidência.

Ideologia, cadê você?
No PP, mesmo com Ana Amélia na chapa de Alckmin (PSDB) a maioria das lideranças está em campanha por Bolsonaro. Outro  que perde apoio é Henrique Meirelles (MDB).

O deputado Heinze (PP) foi um dos primeiros a deixar de lado o tal apoio ao PSDB, já que não vinha ponteado para o Senado.

“Pra louco tem remédio, para ladrão, não!”
O deputado estadual Pedro Pereira (PSDB), um dos mais ferrenhos antipetistas, deu esta incrível declaração para Zero Hora. “Alckmin não decolou e não vai decolar. Entre um ladrão (se referindo ao PT) e um louco, eu fico com o louco. Até porque sou médico e sei que o louco podemos tratar com remédio”.

Cairoli quer Mourão
O vice de Sartori, José Paulo Cairoli, também não vota em Alckmin. Ele veio a Santiago recepcionar o general Mourão, vice do capitão Bolsonaro. Cairoli e Mourão mantêm conversas regulares e ensaiam aproximação para o segundo turno.

Eles sim; eles não
Pela primeira vez, desde 2002, pesquisa mostra que a rejeição aos dois que lideram a corrida à presidência têm mais rejeição do que de intenção de voto.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios